Tudo que sei é que vou morrer. Do resto eu não sei muito bem… O saber ser finito é ter noção da importância do ser presente. É a realidade vestindo fantasia de imortal pelos dias. É invisível no viver e perene no saber. A morte é essa estranha evolução da vida.

Em uma mão, a minha proximidade com a morte. E isso trouxe a certeza de que me transformei, quando a percepção da finitude me invadiu, e também acessou aqueles que amo, de modo definitivo, e nos transformou para sempre. O amor é o antídoto para encarar as superações necessárias. Fiquei com essa crença – uma espécie de guia, na vida. 

Na outra mão, admiração, uma amizade e a vontade de trabalharmos juntos, eu e Leonardo Fernandes. Foram muitas conversas e pizzas entre BH e SP, até que isso pudesse se concretizar.

O texto do Sérgio Roveri chegou do Leo e, a partir daí, nossas mãos se entrelaçaram para a construção do espetáculo “Neblina”. E minha equipe, que me instiga a construir coisas novas, estava ávida. Sem ela não haveria projeto no palco.Sobre Yara de Novaes declaro o orgulho que tenho, pela pessoa e profissional que é. Ela traz outros magos e faz da sala de ensaio pura poesia.

Em nome das perdas e amores a Rubim Produções empreendeu este projeto, abraçado pelo CCBB como patrocinador, a quem dedico o nosso agradecimento.

Para você, que nos assiste hoje, o que gostaríamos de oferecer é o contínuo respeito à sua presença para nos assistir, somado à certeza de que o teatro nos toca e nos transforma.

Boa reinvenção para todos!

 

TATYANA RUBIM
Produtora